15.4.08

O Espetacular Jesus

Carlos Dias
Assessor Auxiliar da ABU Feira de Santana (BA) e Coordenador da ABP Nordeste


Vivemos em meio à sociedade do espetáculo, onde tudo o que chama a atenção, atrai e prende o olhar. São exemplos: representações teatrais, exibição de cinema, televisão, circo, ou qualquer demonstração pública de canto, dança, interpretação musical e etc. Nestes momentos há aplausos, luzes, expectativa, alegria e glamour.

Há dois milênios atrás Jesus Cristo morreu na cruz e fez o espetáculo ao avesso, sem aplausos, sem luzes, sem glamour. Este é o espetáculo que produz vida real, que reconcilia o homem com Deus. É o espetáculo desonroso, indigno, porém que traz honra e devolve a dignidade do homem.

Jesus era avesso ao espetáculo e nisto ele era espetacular; não queria aparecer, não queria aplausos, não queria ser servido, porém servir em amor.

O espetáculo de Jesus era o seu amor em prol do homem, capaz de impulsioná-lo a se doar e a partir daí a curar, a perdoar, a libertar, a salvar o homem pecador. Seu espetáculo era estar com o homem e compreendê-lo, ensiná-lo, mas também ouvi-lo.

Seu espetáculo consistia em estar com o Pai em oração, em dependência, sensível à sua voz para cumprir sua específica missão espetacular: a missão redentora, salvadora, curadora, reconciliadora, perdoadora.

Seu espetáculo consistia em nadar contra a maré, contra as convenções humanas e leis injustas que escravizavam ao invés de trazer ordem e paz.

Seu espetáculo consistia em nutrir, em alimentar os famintos em suas mais diversificadas fomes: fome do pão e da razão, fome de paz e de amor, fome de equilíbrio, fome de Deus; de justiça, de esperança renovadora. Fome de vida abundante.

Seu espetáculo se dava em meio a lugares simples, pequenos e desvalorizados, sem glamour. Começando numa estrebaria, depois num rio, deserto, lago da Galiléia, estradas empoeiradas; montes, casas toscas, sinagogas e por fim no Gólgota (lugar da caveira), na cruz e no sepulcro, onde ressuscitou de forma espetacularmente simples para surpresa daqueles que desacreditavam.

Em sua trajetória ele ensinou ao homem que o “espetacular” está nas coisas simples; num raio de sol, num canto de um pássaro, na vida que se refaz. No perdão, num abraço amigo, numa lágrima que cai. Numa noite enluarada, nos pingos da chuva, no beijo e no abraço da mulher amada; no sorriso das crianças, no suor daquele que trabalha, que amassa o trigo fazendo pão, que constrói e edifica com suas próprias mãos.

Este Jesus tão simples e por isto mesmo tão espetacular nos convida a viver um estilo de vida simples para que desta forma possamos descobrir a cada dia o espetáculo da vida abundante que só ele nos proporciona.

As opiniões expressas no texto são de responsabilidade do autor e não refletem, necessariamente, as posições da ABUB.

2 comentários:

Anônimo disse...

Este espetacular Jesus nos surpreende a cada dia com seu espetacular AMOR. Aleluias!!!
Obrigado Jesus.
Carlos.

Cássia - ABU Valadares disse...

Que verdadeiramente, o nosso espetáculo seja seguir o exemplo dele, de simplicidade e serviço! Parabéns irmão, continue firme, e sempre abundante na obra de Deus! Ah, me esqueci de dizer, aqui em casa, amaram o tapete que ganhei no bus voltando do IPL. Um doce abraço!